21 de abr de 2013

História das Tranças - I


As tranças estão com tudo hoje em dia. Basta a gente olhar qualquer editorial de moda pra ver uma trança aqui e ali, rebuscada, simples; não importa. Mas será que trança tem história? Fiz uma pesquisa rápida e conto pra vocês o que achei por ai.  Hoje falaremos de dois tipos de trança históricos e na próxima tem mais! Espero que gostem!
------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Os cabelos são o acessório mais antigo que temos. E é engraçado pensar que são cutículas pigmentadas que ficam na nossa cabeça para nos proteger das variações climáticas! Mas que bom que a gente tem cabelo, pode e deve utilizá-lo como modo de expressão - pense nos moicanos dos índios norte-americanos, por exemplo! Cabelo é o "acessório" para adornar nossa cabeça!

Mesmo que mullets e colméias possam ir e vir na história da humanidade, as tranças permanecem através dos séculos de forma consistente, independente dos continentes e mesmo de gênero.
Quando os estilos históricos são "citados" em desfiles de moda contemporâneos por Alexander McQueen ou John Galliano, as tranças podem ter um olhar ferozmente moderno!

Tranças têm sido usadas para simbolizar riqueza, estado civil, idade e grau. Elas também são funcionais, mantendo seus usuários frescos e livres para que possam trabalhar sem ficar com o cabelo caindo por todo o rosto.

Um pequeno passeio através dos séculos e continentes e podemos conferir todos os sentidos e estilos que as tranças assumiram, desde as mais simples até os updos mais elaborados. 

Cornrow

O Cornrow é um penteado em que pequenas seções de cabelo são trançadas perto do couro cabeludo em fileiras, podendo ser o estilo mais antigo da trança. 

Na década de 1950, em etnólogo francês e sua equipe encontraram uma pintura rupestre no Planalto de Tassili, no Saara. De 3.500 a.C., a pintura mostrava uma mulher com trancinhas alimentando seu filho.

Outro achado foi uma escultura de argila na Nigéria, datada de 500 a.C., onde uma figura da civilização Nok tem trancinhas gravadas em sua cabeça.













Dependendo da região e do grupo do qual uma pessoa vinha, o estilo da trança cornrow mudava. Usavam desde simples trancinhas lineares até os complexos desenhos geométricos.

Isso ajudava a expressar a identidade de seus portadores e também seu parentesco, estado civil, idade, religião e etnia! 



A Trança Egípcia 

Os antigos egípcios também usavam o cabelo como modo de expressar e identificar pessoas na sociedade. Ornavam suas cabeças com perucas, jóias, pérolas, e até mesmo extensões.

A Trança, em particular, para além de ser bonita, manteve egípcios frescos num clima escaldante e teve ainda um função higiênica: deixava os piolhos longe de ter onde fazer suas tocas!

Crianças egípcias geralmente tinham a cabeça raspada, mas às vezes  mantinham um tufo de cabelo do lado direito da cabeça, que era trançado e enrolado. As meninas, muitas vezes trançavam várias trancinhas e reuniam todas elas em um rabo de cavalo.






Quando se trata de "Cleópatra" é que a coisa fica realmente interessante! No tempo da Rainha do Egito, homens e mulheres separavam o cabelo em pequenos fios trançados das raízes até as pontas e adornados com contas. Na maior parte das vezes, as tranças eram feitas com os cabelos naturais da pessoa; mas aos poucos, os egípcios foram adicionando extensões aos seus cabelos, para fazer as tranças parecerem mais grossas.





Até o próximo post meus queridos! Beijos

Nenhum comentário: