10 de mai de 2011

Sapatos - uma breve história


Sapatos... por mais que se tenha, nunca são muitos e por mais que se leia a respeito, nunca é o bastante, não é mesmo?!

Na busca sobre o que escrever e como escrever sobre este amado acessório, acabei assim: dois textos e um vídeo. O primeiro é uma breve história dos calçados, o segundo sobre a evolução dos saltos altos e junto um vídeo do quadro de moda do Agenda que está uma delícia, pra fecharmos com chave de ouro!

Bjokas e espero que gostem!

~~~  

Breve Histórico

Lá no início, onde tudo começou, o sapato era só uma proteção dos pés. Alguns dizem que foram os egípcios que criaram, outros brigam que foram os homens do paleolítico. Nasceram toscos e enrugados. A principal matéria prima era o couro curtido.

Passados alguns milhares de anos, no Egito Antigo, os sapatos foram se desenvolvendo. Neste momento, ainda eram ferramentas de proteção, mas já não eram tão feiosinhos. Pareciam-se com sandálias feitas em palha, papiro, fibra de palmeira, madeira ou couro, só que não eram democráticas como as nossas Havainas. Nem todo mundo tinha din din para ter uma. Assim, as pessoas comuns passavam a maior parte do tempo descalças e o costume era carregar o precioso nos ombros. Usar mesmo, só quando era necessário!

Os modelitos ao lado mostram como eram as sandálias do período. Estas foram encontradas no túmulo de Sebekhetepi e estão expostas no British Museum. Foram encontrada entre os objetos funerários, sobre os pés da múmia. 

Já na Mesopotâmia, mais ou menos na mesma época, a moda era usar tiras de couro cru amarradas aos pés... já imaginou o cheirinho? E não é porque não sabiam fazer sapatos não minha gente, era moda mesmo! O outro tipo de sapatos que tinham, os coturnos,  não podiam ser usados por gente comum, pois eram símbolos de alta posição social.


Na Ásia, a mais de 2000 anos, a madeira era usada na fabricação de sapatos; e, no Japão, o "Tageta" (também chamado de "Oashi) era usado por camponeses nos campos de arroz.



A diferenciação do formato dos sapatos para o pé esquerdo e para o pé direito foi uma moda lançada na Grécia Antiga e que perdura até os dias de hoje. Até os gregos, o comum eram os sapatos possuírem uma forma única para ambos pés.



Em Roma, o sapato também indicava a classe social e tinham cores e modelos diferentes para isso. Branco era a cor usada pelos cônsules; os senadores tinham suas sandálias marrons presas por fitas negras de couro e atadas com quatro nós. Já os legionários utilizavam as botas que eram abertas deixando os dedos de fora... e os gladiadores usavam as famosas sandálias gladiadoras, feitas em couro.

Na Idade Média  homens e mulheres usavam algo semelhante às sapatilhas e tradicionalmente eram feitas em couro de vaca ou cabra.  Também utilizavam as botas (altas ou baixas), atadas à frente e ao lado.

A questão da numeração foi uma coisa "nova" que começou com o Rei Eduardo I da Inglaterra. É também deste país a primeira produção em "larga escala" de sapatos, no período de transição do artesanato para a manufatura. Quem assina a nota de produção é Thomas Pendleton, que forneceu 4000 pares de sapatos e outros 600 de botas para o exército em 1642.



No ano de 1790 uma máquina de costura foi desenvolvida pelo inglês Thomas Saint para costurar botas e outros calçados. Mas problemas de patente emperraram esta indústria e, só por volta de 1874 que o inglês Newton Wilson pode voltar a utilizar máquinas de costura no setor, tornando o calçado mais acessível.
Por volta de 1940 a indústria calçadista conheceu grandes mudanças: a borracha, incremento do período, possibilitava mais leveza e durabilidade, principalmente para os solados (que antes eram feitos em couro). Outros materiais sintéticos também foram absorvidos pela indústria, principalmente para calçados femininos e infantis. 
Na atualidade, a indústria calçadista se desenvolveu tanto que mudou a função do sapato. No começo, era um mero apetrecho para proteção, feito em couro crú e amarrado aos pés... hoje, é exaltado pela moda em nomes de luxo como Ferracini, Balenciaga, Louboutin... A indústria cria e se recria, fazendo deste acessório, um dos mais antigos da humanidade, objeto de desejo e fixação feminina... afinal, e em qualquer idade, qual mulher não é louca por  sapatos?

~~~
Fiquem ligados que nesta quinta sai a segunda parte dessa matéria, junto do vídeo! Bjoks para todos!

6 comentários:

jarb140 disse...

Adorei o novo Blog, é lindo!!
E sapatos, ai sapatos!! Amoooo!!!
Mil beijos

Letícia Uesugi disse...

Oi Aline (jarb140). E ai queridona, chegou o presente? Me conta tudo!
Que bom que gostou da matéria dos sapatos. A segunda parte vem nesse findes, junto de uma matéria muito gostosa! Beijos

Janaína Santos disse...

Muito bom o post!!!
Estou amando o blog, muito simpático!!!
Bjs

Letícia Uesugi disse...

Oi Jana! Que bom que você gostou!
Nessa dedicação toda, com certeza você ganha o Querida Comentarista do mês! =D

Deborath disse...

Nosso, seu blog é muito show!
Adorei a postagem, realmente muito interessante!
=)

Letícia Uesugi disse...

Olá Debs! Que bom que está gostando do blog. Obrigada linda!
Adorei o seu também! Fotos ótimas!!! E posts muito legais!