24 de jun de 2013

História das tranças III - os Celtas e a Europa Medieval

Olás pessoas queridas! Continuamos nessa edição com mais história das tranças. Dos povos Celtas à Europa Medieval conto pra vocês o que aprendi da história dos trançados nos cabelos! Espero que gostem!
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As tranças dos antigos celtas

Os antigos celtas, habitantes do que hoje são as Ilhas Britânicas e parte da Europa Ocidental, eram povos (tribos - por vezes unidas por um rei comum) poderosos até mais ou menos 750 a.C. 

Os Celtas não eram conhecidos por deixar registros escritos - passavam sua história de forma oral. Mas sabemos que sua influência atravessou mares e, embora sua história seja uma mistura de mitos e lendas incertos, os Celtas amavam as artes (pinturas, esculturas, iluminuras em textos, ourivesaria) e deixaram muitos registros desta forma.

Tanto homens quanto mulheres usavam os cabelos longos e raramente sem tranças (principalmente devido as condições climáticas das regiões).

Nobres usavam tranças elaboradas e muitas vezes decoradas com couros, flores ou contas de metais. Homens e mulheres nessa hierarquia tinham ajudantes para esta tarefa.

Nos soldados as tranças tinham a função de manter os cabelos longe do rosto. Mesmo após o contato com a civilização romana (que usava cabelos e barbas aparados), os Celtas não aderiram a essa moda durante muito tempo e voltaram a usar os cabelos trançados (mesmo para guerra).

Já a classe trabalhadora usava tranças mais simples e com a única função de manter o cabelo fora do caminho enquanto exerciam suas tarefas.



As tranças chegam à Europa Medieval

Durante a Idade Média e o final do mesmo período, numa sociedade muito limitada e cheia de obrigações religiosas, a modéstia era uma virtude, que devia ser respeitada. Portanto a exibição de penteados elaborados foi proibida por lei (a menos que você fosse uma menina ou moça em idade de casar).

Na verdade, se as mulheres mais velhas de uma casta nobre (ou mesmo nas classes mais baixas) começassem a andar sem ter seus cabelos cobertos, elas poderiam ser acusadas ​​por serem bruxas (e nós sabemos o que aconteceu com elas)!

Como resultado, até mesmo os populares estilos de tranças medievais como a trança dupla, a coroa de trança, o coque trançado duplo, ou a trança rabo de peixe estavam geralmente cobertos com lenços ou toucas.

Entretanto, mesmo com todo tipo de proibição, as tranças passaram à frente e os estilos mencionados fazem fama nos tempos modernos, quando usar um lenço na cabeça não passa de uma escolha de estilo (e não vai levar ninguém para a fogueira!).